Governo Bolsonaro impede que Funai atue em terras indígenas não homologadas

11/01/2022

Ouvir a matéria:

No apagar das luzes de 2021, o governo federal lançou mais um ataque aos direitos indígenas. No dia 29 de dezembro, Alcir Teixeira, coordenador geral do Monitoramento Territorial, retirou da Funai a legitimidade para desenvolver atividades de proteção territorial nas terras indígenas ainda não homologadas.


O caso só veio à tona na última semana, em denúncia realizada pelo jornalista Lauro Jardim (O Globo) e representa o avanço do desmonte dos órgãos fiscalizadores dedicados aos povos originários. Com isso, conflitos, invasões de terras indígenas e crimes ambientais passarão a ser investigados apenas pelas polícias Federal, Civil e Militar, além do Ibama, Sema e Sedam. À Funai caberá apenas os planos de proteção em terras homologadas e demarcadas por decreto presidencial.

Em resposta à denúncia, o Ministério da Justiça emitiu uma nota justificando que a atuação restrita da Funai às terras homologadas é do entendimento da PFE (Procuradoria Federal Especializada). “De acordo com a PFE, somente após a homologação, última fase do processo demarcatório, é que há segurança jurídica para que a Funai atue nessas áreas”, afirmou o órgão público em comunicado oficial.

Leia mais no site da CSP-Conlutas

Leia Também


Nota de Pesar

Com profundo pesar, a Adufs comunica o falecimento do estudante do curso de Filosofia da Universidade Estadual de Feira de Santana (UEFS), Ramon Cedraz Rios, ocorrido nesta sexta, 20 de maio de 2022, ...

Saiba mais

Fórum discute saúde do servidor da Uefs

O Fórum de Saúde e Segurança do Trabalho na Uefs reuniu-se para discutir a saúde dos trabalhadores/as nos espaços da universidade e planejar ações para a prevenção de acidentes e doenças ...

Saiba mais