CPI da Covid-19 tem cada vez mais indícios de corrupção

06/09/2021

Ouvir a matéria:

CSP-Conlutas

A Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI) da Covid-19 entrou em seu quinto mês de investigações na última semana e o foco das investigações se concentra nos contratos da empresa VTCLog com o Ministério da Saúde, que apontam um grande esquema de propina e superfaturamento. A operadora logística responsável pelo armazenamento e transporte de medicações no Brasil, incluindo vacinas, entrou na mira do Coaf (Conselho de Controle de Atividades Financeiras), após o órgão fiscalizador levantar suspeitas sobre movimentações financeiras atípicas que somam R$ 117 milhões, nos últimos dois anos.

 

Peça chave das investigações, o motoboy Ivanildo Gonçalves da Silva teria realizado saques que contabilizariam R$ 4,7 milhões. Funcionário da VTCLog, Ivanildo realizou a maior parte das retiradas na boca do caixa e em dinheiro vivo. A prática é comum no pagamento de propinas. O motoboy também pagou boletos do ex-diretor de logística do Ministério da Saúde Roberto Ferreira Dias, que foi exonerado em junho, após as denúncias de que ele teria pedido propina de U$ 1 para cada dose de vacina AstraZeneca (R$ 400 milhões no total).

 

Participação direta dos Bolsonaro

A crise envolve diretamente a família Bolsonaro. O lobista da Precisa Medicamentos, Marconni Farias, investigado por intermediar a venda das vacinas superfaturadas da Covaxin, é amigo de Renan Bolsonaro, quarto filho do Presidente da República. Juntos, eles inauguraram uma empresa de eventos em Brasília.

 

A CPI da covid-19 já vive seus últimos momentos. O relator Renan Calheiros (MDB) pretende entregar o relatório final da comissão na segunda quinzena de setembro. Desde o início das investigações, inúmeras irregularidades foram apontadas, entre elas estão o gabinete paralelo do governo Bolsonaro, que atuou para mudar a bula do remédio cloroquina, e a demora do presidente em dar início à compra das vacinas da Pfizer e outros imunizantes, acarretando mais mortes pela doença.

 

Os fatos apontam que a política genocida do governo de Bolsonaro que já resultou na morte de quase 600 mil brasileiros também foi acompanhada de muita corrupção. Esse governo de ultradireita precisa ser detido já, bem como todos os corruptos irem para a cadeia e terem os bens confiscados.

 

Fonte: CSP-CONLUTAS, com edição.

Leia Também


Nota de Pesar

Com profundo pesar, a diretoria da Adufs comunica o falecimento, nesta madrugada (3), da mãe da professora Lia d'Afonsêca Pedreira de Miranda, lotada no Departamento de Ciências Biológicas da ...

Saiba mais