Ano XIII - Edição 597 - 09/03/2021
-

Campanha eleitoral começa nesta semana

Inicia nesta quarta-feira (10), a campanha da Chapa Adufs - Autônoma e Democrática, única inscrita no processo eleitoral para a definição da diretoria da seção sindical, biênio 2021-2023. Em breve, a Comissão Eleitoral definirá o formato a ser utilizado pelos candidatos para a exposição da proposta para a gestão. Conforme o Edital de Convocação da Eleição, o prazo para o término da apresentação da chapa à categoria termina no dia 23 deste mês.

É importante que todos os docentes sindicalizados acatem o pedido da diretoria da Adufs e atualizem seus dados cadastrais. Para isso, basta acessar o site da seção sindical e preencher o formulário que, entre outras informações, solicita ao servidor o e-mail. É através do endereço eletrônico informado no formulário que o professor receberá o link para acesso à votação. Houve a necessidade de adequar o processo eleitoral para o formato eletrônico pela impossibilidade de ocorrer de forma presencial por conta da pandemia.

A votação será entre 24 e 26 deste mês. O resultado da apuração sairá até o dia 27. A posse da nova diretoria ocorrerá após a divulgação dos resultados, em assembleia convocada especificamente para este fim. Estarão aptos a votar os docentes que se filiaram à Adufs até o dia 22 de fevereiro deste ano.

Leia mais sobre o processo eleitoral para a definição da nova diretoria da Adufs. 
 

Compartilhe esta notícia!

DEMAIS NOTÍCIAS

Dia Internacional da Mulher, em meio à pandemia, escancara desigualdades de gênero e reforça necessidade de luta pelos direitos das mulheres

Movimentos organizados por diversas frentes têm ao longo da história se mobilizado contra as opressões que cercam as mulheres; em contrapartida, as manifestações contrárias que visam cercear o espaço conquistado por elas também ganham força. Em especial no Brasil, vimos nos últimos anos o crescimento de uma onda conservadora com valores misóginos, machistas, homofóbicos, lesbofóbicos e transfóbicos que transformam os eixos de subordinação ainda mais acirrados.

Os movimentos em defesa dos direitos das mulheres, na sua diversidade, têm ganhado popularidade, principalmente entre as mais jovens, e com o apoio das mídias alternativas. Estas mídias apresentam as múltiplas possibilidades de enfrentamento ao machismo, ao mesmo tempo que ainda são movimentos que trazem consigo os estereótipos alimentados por uma mídia hegemônica sedenta por clichês que, por décadas, resumiram as lutas pela liberdade das mulheres a uma pauta conservadora e sexista. Nestas mídias enfatiza-se a exposição do corpo como o elemento mais importante para atrair os falsos moralistas e não os enfrentamentos ali engendrados.

O direito ao trabalho remunerado, ao voto e a educação são apenas algumas das mais marcantes conquistas lideradas por ideais feministas. No universo recente, a Lei Maria da Penha (2001), a Lei do Feminicídio (2015) e a Lei da Importunação Sexual (2018) são importantes conquistas que legislam sobre a liberdade de se manterem vivas, uma condição dignamente conquistada a duras penas por mulheres que resistiram mesmo diante das múltiplas adversidades que atravessam diretamente os seus caminhos cotidianamente. É bem verdade que estas lutas custaram as vidas de muitas delas. O incêndio na fábrica dos Estados Unidos que levou à morte de 146 trabalhadores e trabalhadoras, entre eles 125 mulheres, em 8 de Março de 1857, é uma das origens da luta que vem se reinventando para quebrar as correntes que aprisionam não apenas um grupo de mulheres, mas que reconhece na liberdade de todas, independente raça, etnia ou sexualidade, uma pauta inegociável.

Leia mais no nosso site.

Compartilhe esta notícia!

ASSESSORIA JURÍDICA

Docente com processo de progressão negado deve enviar documentação para a Assessoria Jurídica

A Assessoria Jurídica da Adufs iniciou a judicialização dos casos de progressão de Nível A para B dos professores que tiveram seus pedidos negados pela Secretaria Estadual da Administração (Saeb), com base na Lei Complementar 173/2020. A ação faz parte da luta da diretoria da seção sindical para garantir os direitos trabalhistas dos docentes da Uefs.

O assessor jurídico da Adufs, Danilo Ribeiro, solicita a todos os professores filiados que estejam nesta situação para enviar, por e-mail, a íntegra do processo baixado do SEI; RG; contracheque e procuração assinada. A documentação deve ser enviada para o e-mail danilo.souza.ribeiro@gmail.com.

Leia mais.
 

Compartilhe esta notícia!


ANDES-SN

Pressão faz MEC voltar atrás em recomendação de censura nas IFE

Após pressão e denúncia da comunidade acadêmica, o Ministério da Educação (MEC) recuou das orientações dadas, através de ofício, aos gestores das Instituições Federais de Ensino Superior (Ifes) para que, entre outras arbitrariedades, atuassem para “prevenir e punir atos político-partidários nas instituições públicas federais de ensino”.

Em ofício enviado aos dirigentes das Ifes, o secretário de Educação Superior, Wagner Vilas Boas de Souza, prestou esclarecimentos acerca do documento. No texto, o representante do MEC argumenta que o ofício de fevereiro foi encaminhado por sugestão da Corregedoria do MEC. Após tentar justificar o envio das recomendações, Vilas Boas de Souza comunicou "o cancelamento do OFÍCIO-CIRCULAR Nº 4/2021/DIFES/SESU/SESU-MEC, desde a sua emissão em 07/02/2021, por possibilitar interpretações diversas da mensagem a que pretendia, e ratificamos o posicionamento desta Secretaria de Educação Superior e do Ministério da Educação ao respeito à autonomia universitária preconizada na Constituição Federal".

O recuo do MEC se deu após a tentativa de censurar atividades nas Ifes ser divulgada no início da semana pela imprensa nacional, denunciada pelo ANDES-SN e amplamente rechaçada. O Sindicato Nacional acionou o Ministério Público Federal, que notificou o MEC a prestar explicações acerca do ofício.
 

Fonte: ANDES-SN, com edição.

Compartilhe esta notícia!


CSP-Conlutas

Conlutas defende Lockdown nacional com auxílio emergencial e vacina para todos

No Brasil, a situação é de inexistência de vacinação e de medidas de isolamento social/lockdown com renda, devido à política criminosa, negacionista e genocida de Bolsonaro e de seus cúmplices em governos estaduais e prefeituras.

Para tanto, é necessário intensificar o apoio à luta e à resistência dos trabalhadores em educação básica e todas as esferas da educação pública, em sua reivindicação contra a ofensiva pela abertura das escolas e a volta do ensino presencial defendida desde Bolsonaro a quase todos os governadores e prefeitos.

Nossas tarefas são: fortalecer as lutas e a unidade de ação em defesa da vida, dos direitos de quem trabalha; de um lockdown nacional; auxílio emergencial de um salário mínimo; vacina para todos com quebra das patentes; estabilidade no emprego; liberdades democráticas; terra; moradia; meio ambiente; povos originários; serviços e servidores públicos, combate a toda forma de opressão, machismo, lgbtfobia e racismo estrutural; em defesa da soberania nacional e para reforçar a luta pelo “Fora Bolsonaro e Mourão”.

Finalmente, deve-se tentar articular a possibilidade de construir, junto a esse processo, um polo de ação classista e independente que possa fortalecer nossa estratégia, colocando a central com um ponto de referência às lutas objetivas e dando-as o sentido estratégico da destruição do capitalismo, rumo à construção de uma sociedade socialista.

Fonte: CSP-CONLUTAS, com edição.
 

Compartilhe esta notícia!

Junte-se e lute!

FILIE-SE À ADUFS

É importante fazer parte da Adufs por ser este o espaço onde buscamos, coletivamente, melhores condições de trabalho, bem como lutamos por uma universidade pública, democrática e atuante na vida do cidadão..


Alessandra Oliveira Teles - Professora do Departamento de Ciências Humanas e Filosofia (DCHF)

A força do sindicato está em seus/suas filiados (as) e na capacidade de defender os interesses da categoria. Desde a sua criação, em 1981, a Adufs tem pautado a luta em uma prática democrática, coerente e firme na defesa de um projeto de universidade pública.

Participar do sindicato é exercer cidadania, é ser sujeito da sua história. Para filiar-se é preciso preencher um formulário (aqui), autorizar o desconto mensal de 1% sobre os vencimentos, assinar e entregar na Sala da Associação, que fica no Módulo IV (MT 45) da Uefs.

Avenida Transnordestina, MT 45, Novo Horizonte
Campus Universitário - UEFS - CEP 44036-900 - Feira de Santana - BA
Tel: (75) 3161 - 8072 | (75) 3224 - 3368
Email: ascomadufsba@gmail.com
www.adufsba.org.br

Facebook Twitter YouTube

Política de Privacidade | Unsubscribe
Desenvolvido por Tacitus Tecnologia