Ano X - Edição 475 - 27/08/2018
Próxima reunião será no dia 30 de agosto - Foto: Ascom Fórum das ADs

Fórum das ADs intensifica campanha de mídia e avalia próximos passos da luta

O Fórum das ADs reuniu-se na Adusc para discutir as ações do Movimento Docente (MD) com o retorno das atividades acadêmicas nas Universidades Estaduais. Os professores refletiram sobre a necessidade de ampliar o diálogo com a sociedade baiana sobre a pauta de reivindicações 2018. Nesse sentido, foi apontado para o mês de agosto intensificar a campanha de mídia em toda Bahia com outdoors, spot de rádio e busdoor. O encontro ocorreu no dia 3 de agosto.

Além dos encaminhamentos da área de comunicação, as representações docentes discutiram meios e formas de tratar a pauta 2018 durante o período eleitoral. Foi apontada uma ação jurídica mais incisiva contra o governador Rui Costa pelo não cumprimento dos direitos trabalhistas durante a gestão. A reunião indicou uma avaliação, junto às assessorias jurídicas, de uma denúncia contra o governo na Organização Internacional do Trabalho (OIT) pelo descumprimento dos direitos trabalhistas e o não pagamento da reposição da inflação. O Fórum solicitará, ainda, reunião e audiências com todos os candidatos ao Governo do Estado e ao Senado para apresentar a pauta das Universidades Estaduais da Bahia.

“A nossa categoria e a educação pública baiana sofreram muito durante o governo de Rui Costa. Desde 2014, as quatro universidades acumulam cortes em investimento, manutenção e custeio que passam de R$ 200 milhões. Além disso, amargamos a maior perda salarial dos últimos 20 anos. A insatisfação no funcionalismo público e no setor da educação é grande. O Governo Rui retira direitos e se mostra totalmente inflexível para o diálogo. Não deixaremos de pautar isso durante o período eleitoral”, afirmou Sérgio Barroso, coordenador do Fórum das ADs.

Rodadas de Assembleias e agenda
Para fortalecer o debate na categoria e apontar as ações do segundo semestre, o Fórum das ADs indicou uma rodada de assembleias unificadas nas quatro Universidades Estaduais para o dia 19 de setembro. As representações docentes indicaram que as assembleias discutam um dia unificado de luta, com atos locais e paralisação para o dia 27 de setembro.

Além das assembleias, está também no calendário do Movimento Docente a participação no XVI Seminário Nacional das Instituições de Ensino Superior Estaduais e Municipais (Iees/Imes). O encontro ocorrerá nos dias 21, 22 e 23 de setembro, na Universidade Estadual do Norte Fluminense (Uenf), em Campos dos Goytacazes (RJ). Os eixos centrais do evento serão: Previdência, Carreira, Salário e Financiamento nas Iees e Imes.

A próxima reunião do Fórum das ADs ocorrerá no dia 30 de agosto, a partir das 9h, na sede da Adufs, em Feira de Santana.

Fonte: Ascom Fórum das ADs.

Compartilhe esta notícia!

CONDIÇÕES DE TRABALHO E ESTUDO

Pauta interna da Uefs voltará a ser tratada em reunião

Foto: Adufs

A pauta interna da Uefs voltará a ser discutida pelo Comando de Mobilização dos docentes e pelos chefes dos departamentos em reunião a ser realizada nesta terça-feira (28), às 9h, na sede da Adufs. O encontro é aberto à participação de qualquer professor que desejar.

Durante o encontro, os presentes irão organizar as informações repassadas pelos representantes do Comando e dos departamentos sobre as condições de trabalho na Uefs. Depois, a diretoria da Adufs irá elaborar um documento e protocolá-lo junto à Administração Central da universidade para reivindicar solução em relação ao atual quadro de sucateamento da instituição.

Compartilhe esta notícia!

OBRA

Restaurante Universitário passa por reparos na estrutura física

Foto: Ascom Adufs

Fechado para intervenção na estrutura física, o Restaurante Universitário da Uefs (RU) voltará a funcionar no dia 3 de setembro, quando se inicia o semestre letivo 2018.2. O RU está fechado desde o dia 2 de agosto. A obra inclui troca de pisos e azulejos, melhoria na parte elétrica e hidráulica, pintura da área interna, entre outros reparos.

Enquanto o local estiver em reforma, o fornecimento de comida estará suspenso. Durante toda a semana são produzidas no RU 3.500 refeições diárias, sendo 3.400 cotas disponíveis para os estudantes. A unidade disponibiliza café da manhã, almoço e jantar. Segundo a Pró-reitoria de Políticas Afirmativas e Assuntos Estudantis da Uefs (Propaae), a intervenção foi comunicada com antecedência à comunidade universitária. 

Compartilhe esta notícia!

ATAQUE DO GOVERNO

Mobilização da Uneb faz governo recuar e pagar os salários cortados de docentes e técnicos

Foto: Ascom Aduneb
Categoria avaliará possível greve

Após a forte indignação e revolta dos professores e técnicos da Uneb, que contaram com o apoio da reitoria, quinta-feira (23), o governador Rui Costa foi obrigado a recuar e informar que efetuará o pagamento dos seis dias de salários cortados dos docentes da universidade. A ação truculenta do governo do estado veio em represália à paralisação, de 06 a 11 de agosto, realizada pela categoria docente, deliberada em assembleia geral, contra vários problemas na Uneb, entre eles a ameaça de corte das passagens docentes (leia mais).

Os servidores técnicos também receberão pelo dia anteriormente cortado, devido à paralisação do dia 16. 

Pagamento
De acordo com a reitoria da Uneb, a recomposição salarial será realizada por meio de folha complementar, que virá junto com o pagamento habitual, em 31 de agosto. Em contrapartida, a Reitoria apresentará à Secretaria da Administração (Saeb) um plano de compensação de carga horária. A ADUNEB ressalta que após as paralisações, tradicionalmente, por responsabilidade com a Uneb e com a formação dos estudantes, todas as atividades acadêmicas sempre são repostas.

Apesar das notas da reitoria da Uneb que informaram o retorno do pagamento, por não confiar no governo da Bahia, uma das deliberações da categoria docente, neste dia 23, foi agendar nova assembleia para 31 de agosto, justamente o dia do pagamento. Caso o governo descumpra o acordado, em pauta estarão o corte dos salários e a discussão sobre uma possível greve. A intenção é que a atividade seja realizada em conjunto com os servidores técnico-administrativos da universidade. 

Leia mais.

Fonte: Ascom Aduneb. 

Compartilhe esta notícia!


ANDES-SN

Cortes orçamentários e EC 95 prejudicam ensino e pesquisa no país

Os efeitos da Emenda Constitucional 95 deverão se acentuar no próximo ano. Diversos reitores de universidades e institutos federais declaram dificuldade para manter as instituições em pleno funcionamento. Diante desse cenário, ampliaram as demissões de terceirizados, corte de bolsas de estágio e auxílio permanência, além de aumentos expressivos no valor do restaurante universitário em várias IES.

A EC 95, votada no final de 2016, congela os investimentos sociais por 20 anos, utilizando como base o cálculo dos investimentos vinculados à variação da inflação. Dessa forma, o orçamento destinado às instituições de ensino fica definido apenas pelo montante executado e pago no ano anterior. Para a educação e a saúde, o ano-base foi 2017, com início de aplicação em 2018.

A revogação da EC 95 é uma das principais pautas de luta do ANDES-SN. Em 10 de agosto, docentes de vários estados foram às ruas no Dia Nacional de Luta em Defesa do Serviço Público de Qualidade. De 30 deste mês a 1º de setembro, em Brasília (DF), o Fórum das Entidades Nacionais dos Servidores Públicos Federais (Fonasefe) realizará seminário com servidores públicos das três esferas para discutir, entre outras pautas, as mudanças no Estado brasileiro após a Emenda Constitucional 95.

Fonte: ANDES-SN, com edição. 

Compartilhe esta notícia!


CSP-Conlutas

Central desenvolverá campanha contra as privatizações

Foto: CSP-CONLUTAS

Durante o próximo semestre, a CSP-Conlutas desenvolverá uma campanha contra as privatizações. A proposta é defender os serviços públicos, a saúde, a educação, a moradia, a segurança pública e as riquezas naturais do país, como petróleo, vegetação e fauna.

A Central alerta que é preciso reagir aos ataques dos governos. Além da lista de privatizações que já ocorreram desde o governo Collor, passando por FHC, Lula e Dilma, o governo Temer apresentou, no início do ano, um projeto com 75 privatizações. Fazem parte do projeto a Eletrobrás, Casa da Moeda, Correios, aeroportos e estradas, entre privatizações, concessões, parcerias público-privadas (PPP) e outras formas de passar o controle destas empresas públicas e serviços para a iniciativa privada.

Portanto, levantar a bandeira contras privatizações é uma tarefa necessária à luta dos trabalhadores brasileiros. 

Fonte: CSP-CONLUTAS, com edição.

Compartilhe esta notícia!

Junte-se e lute!

FILIE-SE À ADUFS

“A Adufs não é apenas um sindicato. É também uma entidade onde, no debate franco, democrático e aberto, discutimos sobre nossa profissão, nossa condição de trabalhadores e sobre nosso desejo de construirmos um país mais justo e menos desigual. Logo, ser filiado é ser parte de um coletivo fundamental para a defesa dos nossos direitos”..


Onildo Araujo da Silva - Professor do Departamento de Ciências Humanas e Filosofia (DCHF)

A força do sindicato está em seus/suas filiados (as) e na capacidade de defender os interesses da categoria. Desde a sua criação, em 1981, a Adufs tem pautado a luta em uma prática democrática, coerente e firme na defesa de um projeto de universidade pública.

Participar do sindicato é exercer cidadania, é ser sujeito da sua história. Para filiar-se é preciso preencher um formulário (aqui), autorizar o desconto mensal de 1% sobre os vencimentos, assinar e entregar na Sala da Associação, que fica no Módulo IV (MT 45) da Uefs.

Avenida Transnordestina, MT 45, Novo Horizonte
Campus Universitário - UEFS - CEP 44036-900 - Feira de Santana - BA
Tel: (75) 3224 - 8072 | 3224 - 3368
Email: ascomadufsba@gmail.com
www.adufsba.org.br

Facebook Twitter YouTube

Política de Privacidade | Unsubscribe
Desenvolvido por Tacitus Tecnologia