Ano X - Edição 467 - 03/07/2018
Docentes denunciaram os ataques do governo - Foto: Ascom/Adufs

Desfile da Independência da Bahia é marcado por protestos

O 195º ano de comemorações do Dois de Julho, na segunda-feira (2), em Salvador, foi de manifestação dos professores das universidades estaduais baianas. Os docentes usaram o desfile que marca a Independência da Bahia para tornarem visíveis as próprias reivindicações, como o ataque do governo Rui Costa aos direitos trabalhistas, o maior arrocho salarial dos últimos 20 anos e a política de desmonte das instituições estaduais de ensino superior.

Faixas, bandeiras, cartazes, pirulitos, adesivos e camisetas foram utilizados como instrumento de divulgação das lutas. Através deles, os docentes exigiram mais orçamento para as universidades, recomposição salarial, ampliação e desvinculação do quadro docente, retorno da licença sabática, mais o cumprimento dos direitos trabalhistas. Uma banda de fanfarra acompanhou a manifestação dos professores, que ainda contou com o apoio dos estudantes das universidades estaduais.

A mobilização somou-se à de outras categorias de trabalhadores e estudantes, que reivindicaram investimentos em serviços essenciais à população, a exemplo da saúde, transporte público, moradia, segurança pública e educação. Também houve protesto contra a privatização das estatais e a violência à mulher. O grupo saiu da Lapinha e seguiu até a Praça Municipal, num percurso de 2,9 quilômetros.

Veja as fotos do protesto no Facebook da Adufs.

Compartilhe esta notícia!

DECISÃO DE CATEGORIA

Nesta quarta-feira (4) terá assembleia

Foto: Adufs

A diretoria da Adufs convoca os professores para a assembleia desta quarta-feira (4), às 16h30, no Auditório 3, Módulo IV. A plenária será informada sobre o andamento das ações encaminhadas ao comando de mobilização do movimento docente, ampliado no dia 13 de junho deste, além de discutir a campanha 2018.

No ponto de pauta campanha 2018, a categoria avaliará o estado de greve, conforme indicado pelo Fórum das ADs e também avaliado em assembleia do dia 13 do último mês. O Fórum reuniu-se nesta terça-feira (3) para discutir os novos encaminhamentos e propor uma agenda de mobilização.

Compartilhe esta notícia!

ADUFS, 37 ANOS

Confraternização da Adufs será realizada no dia 14 de julho

Foto: Adufs

Os 37 anos de lutas e conquistas da Adufs serão comemorados no dia 14 de julho, às 14h, no Sítio Campestre. Além de ser um espaço de confraternização entre os docentes, o evento é um momento para troca de informações e experiências.

A festa terá um delicioso buffet e será animada pelas bandas feirenses Estéreo Polifonia e Os Malvadinhos do Forró. A primeira é formada somente por mulheres, que abrirá o evento com canções da Música Popular Brasileira (MPB). O agito ficará por conta da banda de forró, segunda a se apresentar.

Os diretores entregarão um brinde aos professores presentes à festa. Também será disponibilizado o transporte aos docentes residentes em Salvador que queiram participar da confraternização. O veículo sairá do ponto da Uefs, na capital baiana, às 13h. O horário do retorno será divulgado assim que definido. Quem quiser comparacer ao evento deve informar à secretaria da Adufs até às 18h do dia 11 de julho. 

Crianças

Além do parque infantil existente no Sítio Campestre, a garotada poderá curtir o jogo aero hockey e a corrida de obstáculos, disponibilizados pela diretoria da Adufs.

O Sítio Campestre fica na rua Rubens Francisco Dias, 2101, bairro Papagaio. Partindo do Centro da cidade, deve-se seguir a Br 116 Norte (sentido Uefs), entrar na rua principal do Papagaio (referência: placa do Centro Diocesano) e seguir em frente. Após o Condomínio Viva Mais Papagaio, entrar na primeira rua à esquerda (Veja a imagem).

Caso o professor saia da Uefs, deve seguir a Br 116 Norte (sentido Centro da cidade), fazer o retorno em frente à loja Alta Tensão, continuar seguindo na Br 116 Norte, entrar na rua principal do Papagaio (referência placa Centro Diocesano) e seguir em frente. Após o Condomínio Viva Mais Papagaio, entrar na primeira rua à esquerda (Veja a imagem).

Compartilhe esta notícia!

UEFS

Comando de mobilização iniciará ações através das plenárias dos departamentos

Foto: Ascom/Adufs
Ação culminará com um documento

Os problemas relativos à pauta interna da Uefs vão além do déficit orçamentário da instituição. Estes também envolvem questões como a deficiência na elaboração de alguns editais para a realização de concurso público, o mau funcionamento dos laboratórios e a dificuldade de implantação de novos cursos. A conclusão foi do comando de mobilização do Movimento Docente (MD) da universidade, ampliado na assembleia realizada no dia 13 de junho.

Em reunião, realizada na sede da Adufs, na última terça-feira (26), o comando encaminhou que a pauta interna seja discutida nas plenárias departamentais. A proposta é que os diretores dos departamentos relacionem os problemas existentes nestes setores e nos cursos a eles vinculados. Em posse das informações, os comando de mobilização fará um relatório contendo a situação de cada curso, além de visitar os locais indicados para registro fotográfico das dificuldades existentes.

A proposta da categoria é exigir solução à administração central da instituição e ao governo Rui Costa. O documento será amplamente divulgado para a comunidade interna e externa. A expectativa dos docentes é que o relatório auxilie a luta por melhores condições de trabalho e estudo na Uefs.

A ampliação do comando de mobilização, bem como a construção do relatório foram aprovadas em assembleia docente ocorrida no dia 13 de junho deste. 

Compartilhe esta notícia!


ANDES-SN

Docentes definem agenda de lutas para os setores

Foto: ANDES-SN
Adufs foi representada por 4 docentes

No domingo (1º), último dia do 63º Conad, realizado na Universidade Estadual do Ceará (Uece), em Fortaleza, os delegados e observadores discutiram e atualizaram o plano de lutas dos Setores das Instituições Federais de Ensino (Ifes) e das Estaduais e Municipais de Ensino Superior (Iees/Imes). Também foi empossada, no primeiro dia do encontro, na última quinta (28), a nova diretoria do ANDES-SN, gestão 2018-2020. A Adufs foi representada no encontro pela diretora Marilene Lopes, indicada pela diretoria, além dos observadores Gracinete Souza, Rosevaldo Ferreira e Raquel Rodrigues, escolhidos em assembleia. A indicação da diretora também foi referendada pela assembleia.

Participaram 70 seções sindicais, num total de 308 participantes. Para a diretora Marilene Lopes, “o Conad é um momento em que os docentes atualizam o plano de lutas, bem como reativam e planejam as correlações de forças para os enfrentamentos do próximo período”.

  

 

A Adufs foi representada por quatro docentes

Fotos: ANDES-SN.

Conforme aprovado, o Setor das Iees/Imes irá realizar um encontro nacional na Universidade Estadual do Norte Fluminense (Uenf), em Campos dos Goitacazes (RJ), entre os dias 21 e 23 de setembro. O Sindicato Nacional irá também, produzir, um dossiê com o histórico de lutas do Setor, bem como materiais temáticos de mobilização em defesa das Iees e Imes. 

A atualização da agenda do setor prevê também a realização de um Dia Nacional de Lutas em defesa da Previdência Pública, da carreira, salário e do Financiamento Público das Iees e Imes.

O fim do ponto eletrônico nas instituições foi destaque na pauta do setor das Ifes. Os docentes decidiram promover uma articulação política nacional com entidades afins, para dispensa do ponto eletrônico para docentes federais, estaduais e municipais do Ensino Básico, Técnico e Tecnológico (EBTT) ou similar. Foi deliberado, ainda, um calendário de ações incluindo um dia de luta contra o racismo e dia de luta contra os assédios sexual e moral, em conjunto com o Setor das Iees/Imes.

Ainda durante a atualização e votação do plano de lutas dos setores do Sindicato Nacional, os docentes deliberaram que o ANDES-SN se integre à campanha Boicote, Desinvestimento e Sanções (BDS) a Israel, divulgando e incentivando-a em suas bases, além de prestar solidariedade internacional à luta do povo Palestino e contra o massacre daquela população.

Carta de Fortaleza
Feita a leitura das moções, os participantes do Conad expressaram apoio aos trabalhadores demitidos da Amsted Maxion, aos professores perseguidos na Universidade Federal de Santa Catarina, à greve dos trabalhadores técnico-administrativos em educação da Unicamp, repúdio à limitação, pela reitoria da Universidade Federal de Lavras (Ufla), do uso dos espaços da instituição, dentre outras pautas.

Os delegados participantes do 63º Conad escolheram Brasília para sede do próximo Conad, que acontecerá em 2019. O evento será sediado pela Associação dos Docentes da Universidade de Brasília.

Os delegados aprovaram também as prestações de contas do exercício de 2017, a previsão orçamentária para 2019 e a prestação de contas do 37º Congresso do ANDES-SN. Ainda foi aprovada, ad referendum do 38º Congresso, a constituição da Associação dos Professores e Professoras do Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia do Rio Grande do Sul – Sindoif.

Comissão da Verdade
Durante a Plenária sobre Questões Organizativas e Financeiras, os delegados elegeram os novos membros da Comissão da Verdade do ANDES-SN para o próximo biênio. Foram escolhidos, como titulares, os docentes Josefa Lopes (Apruma SSind.), Alexandre Marcondys (Sindunifap – SSind.) e Wanderson Fábio de Mello (Aduff SSind.). Como suplente, o docente Cristiano Endoker (Aprofurg SSind.) e Flavio Pereira (Adunioeste SSind.). A comissão será ainda composta por dois representantes da Diretoria Nacional, Ana Maria Estevão e Erlando Rêses.

Aprovada em março de 2013, durante o 32º Congresso do Sindicato Nacional, a Comissão da Verdade foi criada com o propósito de contar a versão dos trabalhadores perseguidos nas universidades, uma vez que há várias discordâncias em relação à forma como foi constituída e como trabalhou a Comissão Nacional da Verdade, instituída pelo governo federal.

Fonte: ANDES-SN, com edição. 

Compartilhe esta notícia!

Bancos aumentam lucros e demitem mais

Foto: Diap
Bancos fecharam 2.675 postos

Os bancos fecharam 2.675 postos de trabalho no Brasil, nos cinco primeiros meses deste ano, de acordo com o Cadastro Geral de Empregados e Desempregados (Caged). Desde janeiro de 2016, em apenas quatro meses, os saldos foram positivos (janeiro de 2016, julho e novembro de 2017 e janeiro de 2018).

São Paulo, Rio de Janeiro e Paraná foram os estados com maiores saldos negativos. Foram, ao todo, 11.283 admissões e 13.958 desligamentos nos cinco primeiros meses de 2018. Os reflexos da reforma trabalhista já ficaram claros. As demissões sem justa causa representaram 53,4% do total de desligamentos no setor bancário entre janeiro e maio de 2018. As saídas a pedido do trabalhador representaram 38,8% dos tipos de desligamento.

São Paulo registrou 57,9% das admissões e 52,6% do total de desligamentos, apresentando o maior saldo negativo no emprego bancário no período analisado, com 814 postos fechados no ano. Rio de Janeiro e Paraná fecharam, respectivamente, 605 e 366 postos.

Fonte: ANDES-SN, com edição.

Compartilhe esta notícia!


CSP-Conlutas

Lei de Diretrizes Orçamentárias para 2019 proíbe concursos e propõe congelar salários dos servidores

Foto: CSP-CONLUTAS
LDO precisa ser votada até 17 de julho

A Comissão Mista de Orçamento do Congresso Nacional vota, nesta quarta-feira (4), o parecer da Lei de Diretrizes Orçamentárias (LDO ) de 2019. O texto foi apresentado pelo relator, o senador Dalírio Beber (PSDB), e traz uma série de ataques ao funcionalismo, bem como medidas que agravarão ainda mais o caos nos serviços públicos.

Mesmo com aumentos salariais para os servidores públicos já aprovados para o próximo ano, o relatório proíbe a concessão de reajustes em 2019 e também elimina a criação de novos cargos no funcionalismo público. A proposta congela ainda benefícios como auxílio-alimentação e refeição, auxílio-moradia e assistência pré-escola. Pelo texto, a contratação de novos servidores fica proibida. 

Déficit primário e renúncia fiscal

No parecer, o senador justifica as medidas em razão do déficit público e como necessárias para controlar as contas públicas. Segundo divulgado pela imprensa, integrantes da equipe econômica do governo ficaram satisfeitos com as propostas do relator para a LDO 2019. 

Para o integrante da Secretaria Executiva Nacional da CSP-Conlutas, Paulo Barela, as medidas do parecer representam graves ataques não só aos servidores, mas também à população em geral. 

A LDO precisa ser votada pelos deputados e senadores até o dia 17 de julho, antes do início do recesso parlamentar, em sessão do plenário do Congresso Nacional. 

Fonte: CSP-Conlutas, com edição.

Compartilhe esta notícia!

Projeto da “Escola Sem Partido” será votado na Câmara nesta quarta (4)

Foto: CSP-CONLUTAS

O projeto “Escola Sem Partido” está na pauta de votação desta quarta-feira (4) da comissão especial criada na Câmara dos Deputados para discutir o assunto. O texto tramita em caráter conclusivo e, caso aprovado, poderá ser encaminhado diretamente para apreciação do Senado.

A medida polêmica já foi considerada inconstitucional em várias decisões judiciais que julgaram a aprovação de leis municipais com o mesmo teor. O Ministério Público Federal (MPF) já pediu à Procuradoria-Geral da República que encaminhe o documento ao Supremo Tribunal Federal (STF) para julgamento.

O projeto altera a Lei de Diretrizes e Bases da Educação (LDB) para proibir a oferta de disciplinas com conteúdo de “gênero” ou “orientação sexual” em escolas de todo o país.

O texto do relator, deputado Flavinho (PSC-SP), chega ao absurdo de estabelecer que em cada sala de aula haja um cartaz com “seis deveres do professor”, entre os quais também está a proibição de usar sua posição para cooptar alunos para qualquer corrente política, ideológica ou partidária. 

As diretrizes estabelecidas no projeto ainda devem repercutir sobre os livros paradidáticos e didáticos, as avaliações para o ingresso no ensino superior, as provas para o ingresso na carreira docente e as instituições de ensino superior.

Pelo texto, a lei entraria em vigor dois anos após aprovada.

Mobilizações

Em conjunto com diversas entidades, a CSP-Conlutas integra a Frente Escola Sem Mordaça, que defende uma educação de qualidade, livre, democrática, laica e sem censura.

Para a professora Joaninha Oliveira, dirigente da Secretaria Executiva Nacional (SEN) da CSP-Conlutas, “além de impor brutal censura à educação de qualidade no país, o projeto Escola Sem Partido visa quebrar a organização e a luta dos profissionais da educação”.

Fonte: CSP-Conlutas, com edição.

Compartilhe esta notícia!

Junte-se e lute!

FILIE-SE À ADUFS

"Criado historicamente para a defesa dos interesses dos trabalhadores, o sindicato continua, até os dias atuais, a principal forma de organização política, entre outras (partido), para desenvolver a luta para manter e ampliar os reais direitos dos trabalhadores. Filiar-se é fortalecer o próprio instrumento de luta"..


Clodoaldo Almeida da Paixão - Professor do Departamento de Ciências Humanas e Filosofia (DCHF)

A força do sindicato está em seus/suas filiados (as) e na capacidade de defender os interesses da categoria. Desde a sua criação, em 1981, a Adufs tem pautado a luta em uma prática democrática, coerente e firme na defesa de um projeto de universidade pública.

Participar do sindicato é exercer cidadania, é ser sujeito da sua história. Para filiar-se é preciso preencher um formulário (aqui), autorizar o desconto mensal de 1% sobre os vencimentos, assinar e entregar na Sala da Associação, que fica no Módulo IV (MT 45) da Uefs.

Avenida Transnordestina, MT 45, Novo Horizonte
Campus Universitário - UEFS - CEP 44036-900 - Feira de Santana - BA
Tel: (75) 3224 - 8072 | 3224 - 3368
Email: ascomadufsba@gmail.com
www.adufsba.org.br

Facebook Twitter YouTube

Política de Privacidade | Unsubscribe
Desenvolvido por Tacitus Tecnologia