Ano X - Edição 463 - 05/06/2018
Diretores ampliam ainda mais o diálogo com os docentes - Foto: Ascom/Adufs

Diretoria da Adufs comparece às reuniões dos departamentos

Com o objetivo de aproximar-se ainda mais da categoria e ampliar o contato com os docentes, a diretoria da Adufs tem participado das reuniões dos departamentos da Uefs. Na ocasião, além da apresentação dos diretores presentes, são repassados os informes atinentes às reivindicações dos professores.

Na segunda-feira (5), os diretores estiveram na reunião do Conselho do Departamento de Tecnologia (DTEC), onde falaram sobre a campanha salarial 2018 e contextualizaram brevemente as tentativas do Fórum das ADs em abrir as negociações junto ao governo Rui Costa a convocar mesas de negociação para tratar sobre a pauta de reinvindicações deste ano. Também repassaram informações sobre a situação atual de algumas ações judiciais impetradas pela Associação.

“Protocolamos nossa pauta em dezembro de 2017. Fizemos atos públicos e durante diversas vezes tentamos nos reunir com o governo. Estivemos com o subsecretário da Educação, Nildon Pitombo, ao qual solicitamos uma reunião com secretários de governo, e com a presidente da Comissão de Educação, Cultura, Ciência, Tecnologia e Serviços Públicos da Assembleia Legislativa da Bahia (AL-BA), Fabíola Mansur (PSB). À deputada, reivindicamos uma audiência sobre o tema Desafios do ensino superior público da Bahia. Ambos se comprometeram com a categoria mas, até então, não deram respostas. No dia 28 de maio, tentamos falar com o governador, que estava em Feira de Santana para a inauguração de uma unidade de saúde, mas fomos impedidos pelos seguranças de entrar no local”, relatou a diretora Marilene Lopes, lembrando aos presentes à Reunião do Conselho do DTEC que, somente unificada, a categoria terá força para cobrar do governo solução para a atual situação das universidades estaduais baianas.

A diretoria irá às reuniões dos departamentos de Ciências Exatas (DEXA) e de Saúde (DSAU), nos dias 18 e 20 deste mês, respectivamente. Nesta manhã (5), estiveram na reunião do Departamentos de Letras e Artes (DLA) e, à tarde, no Departamento de Física (DFIS). 

Jurídico
A diretoria também falou sobre o andamento dos processos impetrados junto ao Tribunal de Justiça da Bahia (TJ-BA) para garantir a retomada do pagamento do adicional de insalubridade e os valores retroativos ao auxílio-alimentação. Em se tratando do primeiro, os valores foram restabelecidos no contracheque em janeiro deste ano. A Procuradoria Geral do Estado (PGE) alega ter cumprido integralmente a decisão do desembargador do TJ-BA, Baltazar Miranda, que determinou o restabelecimento do adicional em favor de todos os prejudicados pela suspensão do pagamento pela Secretaria da Administração (Saeb). 

No entanto, a informação do governo Rui Costa não é verdadeira, pois não foram beneficiados os não sindicalizados. Alguns docentes sindicalizados também estiveram na sede da Associação para informar que não receberam o pagamento. Em função do descumprimento da decisão, por parte do governo, a Assessoria Jurídica  da Adufs ajuizou uma petição ao magistrado contestando a PGE.

Além de refutar a informação da PGE, a petição impetrada pela diretoria ressalta que a extensão dos efeitos da decisão do desembargador é definitiva e garante o restabelecimento do pagamento a todos, e não somente aos sindicalizados. O documento reafirma também que a extensão dos efeitos da decisão do magistrado à totalidade daqueles que tiveram os pagamentos suspensos já constava no Mandado de Segurança impetrado pela diretoria da Adufs. 

A diretoria da Adufs ainda fez um requerimento alertando o Tribunal de Justiça da Bahia sobre o descumprimento da determinação judicial.

Retroatividade

Quanto à retroatividade dos valores referentes ao pagamento do adicional de insalubridade, a diretoria informou que, há alguns meses, vem orientando os professores a entregarem os contracheques na secretaria da Adufs. O documento é necessário para que a empresa de contabilidade contratada pela Associação calcule os valores retroativos entre o período do corte e do restabelecimento do adicional.

No caso do auxílio-alimentação, cortado pelo governo estadual em 2010, durante o afastamento dos docenets para a pós-graduação, foi anexado ao Mandado de Segurança já impetrado pela Assessoria Jurídica da Adufs um requerimento de execução solicitando o pagamento retroativo.

Compartilhe esta notícia!

DIA NACIONAL DE LUTA

Manifestantes unificam luta em apoio aos caminhoneiros e petroleiros

Foto: Ascom/Adufs
Ato marcou o Dia Nacional de Luta

Trabalhadores de vários segmentos e estudantes ocuparam algumas das principais vias de Feira de Santana em apoio às greves dos caminhoneiros e petroleiros e contra a privatização da Petrobras. Por onde passou, a mobilização teve o apoio da população que, a pé ou em veículos, aplaudiu os manifestantes. O protesto ocorreu quarta-feira (30), data convocada por diversas entidades e centrais sindicais do Brasil como Dia Nacional de Luta.

Nas falas, os manifestantes reivindicaram uma sociedade mais democrática e igualitária, na qual a política econômica garanta os direitos sociais e melhores condições de vida à maioria da população. Sendo assim, foram exigidas a mudança na política de preços praticada pela Petrobras, a saída do presidente da estatal, Pedro Parente, e repudiados o governo Temer e o decreto que autorizou a intervenção militar e das forças federais de repressão para acabar a greve dos caminhoneiros. Alguns presentes ao ato público também ressaltaram a necessidade de os sindicatos se mobilizarem rumo à deflagração de uma nova Greve Geral.

O ato em Feira de Santana contou com a participação de funcionários dos Correios, da educação básica e superior, incluindo docentes e técnico-administrativos da Uefs, trabalhadores rurais, metalúrgicos, servidores previdenciários e representantes de partidos políticos e do movimento negro.

O grupo concentrou-se na Praça de Alimentação, centro da cidade, às 16h. Depois, seguiu pela Avenida Getúlio Vargas, rumo à Prefeitura Municipal, passou pela Avenida Senhor dos Passos e encerrou o protesto no Monumento ao Caminhoneiro, na Avenida Presidente Dutra. 

Compartilhe esta notícia!


ANDES-SN

Adufs marcará presença em Encontro Nacional de Seguridade Social

Foto: ANDES-SN

“EBSERH, FUNPRESP e Federalização dos Hospitais Universitários” será o tema do Encontro Nacional de Seguridade Social e Assuntos de Aposentadoria do ANDES-SN, a ser realizado da próxima sexta-feira (8) até domingo (10), em Curitiba (PR). A Adufs, que sempre procura participar das discussões realizadas no âmbito do ANDES-SN e da CSP-CONLUTAS, bem como colaborar com a construção da luta organizada em nível nacional, será representada pelo diretor Geraldo Ferreira de Lima.

Os presentes irão discutir a construção do dossiê EBESERH, a federalização dos hospitais universitários e a importância de garantir o caráter público da Previdência. Para Geraldo Ferreira de Lima, que também é membro do Grupo de Trabalho Seguridade Social e Assuntos de Aposentadoria da Adufs (GTSSA), os debates ocorridos durante o evento “serão norteadores para o enfrentamento de medidas que o movimento docente, em particular, e o sindical, como um todo, terão de tomar, não só visando a continuidade do enfrentamento à política de usurpação de direitos do governo agônico do impostor Temer, assim como dos que lhe sucederem, caso optem seguir sua agenda”.

GTSSA
Importantes debates sobre saúde docente têm sido feitos pelo GTSSA da Adufs. Em abril de 2016, o grupo organizou a Oficina Inter-regional II da pesquisa sobre saúde e adoecimento docente, que contou com as presenças de seções sindicais da regional Nordeste III, Norte I e II e o GTSSA da Associação dos professores da Universidade Federal do Paraná (ADUFPR). 

Ao final do encontro foram sistematizadas as propostas discutidas na primeira edição do evento, ano passado, e definidos o referencial teórico, a metodologia, os objetivos e o instrumento da pesquisa a serem adotados pelas seções sindicais. A proposta é que o ANDES-SN, a partir das experiências das seções sindicais, elabore um diagnóstico referencial para análise e construção de um plano de ação em defesa das condições de trabalho dos docentes.

Na Adufs, além do GTSSA funcionam o GT Carreira; Classe, Étnico-racial, Gênero e Diversidade Sexual (GTPCEGDS) e Política Educacional (GTPE). 

Compartilhe esta notícia!

Regional Nordeste 3 realizará encontro em Vitória da Conquista

Foto: Ascom/Adufs

A Regional Nordeste 3 do ANDES-SN realizará, no dia 8 de junho, um encontro que reunirá representantes das seções sindicais da Bahia, Sergipe e Alagoas. A reunião terá como tema central O impacto das contrarreformas na Educação Superior Pública: o papel do sindicato nacional na defesa das Universidades, Colégios de Aplicação e CEFET.

Durante a mesa de abertura será lançada a cartilha do Grupo de Trabalhos de Política Educacional (GTPE) "Um pouco de história, pois o futuro não se constrói só com o presente", que foi distribuída, pelo Sindicato Nacional, durante a CONAPE. Na sequência, serão debatidas as temáticas "O Impacto do Marco Legal da Ciência e Tecnologia e Inovação nas Universidades", "Por maior participação das Mulheres no Sindicato Nacional: Paridade na Direção Nacional" e "Contrarreformas da Educação: Residência pedagógica e militarização da educação".

O encontro acontecerá no auditório da Associação dos Docentes da Universidade Estadual do Sudoeste da Bahia (Adusb).

Confira a programação

08/06/18 - Sexta-feira
9h - Mesa de abertura e Lançamento da cartilha do GTPE
9h30 às 12h30 - O Impacto do Marco Legal da Ciência e Tecnologia e Inovação nas Universidades
12h30 às 14h00 – Almoço
14h às 17h - Por maior participação das Mulheres no Sindicato Nacional: Paridade na Direção Nacional
17h – Lanche
17h30 às 20h - Contrarreformas da Educação: Residência pedagógica e militarização da educação
20h - Atividade cultural

Fonte: ANDES-SN, com edição. 

Compartilhe esta notícia!


CSP-Conlutas

Pedro Parente sai da presidência da Petrobrás

Pedro Parente, presidente da Petrobras, apresentou, no dia 1° deste, uma carta de demissão ao presidente Michel Temer (MDB). A saída de Parente ocorre após a poderosa greve de dez dias dos caminhoneiros e as paralisações realizadas em todo o país pelos petroleiros, que na última quarta-feira (30) deflagraram uma greve de 72 horas.

Na carta informando a demissão em caráter “irrevogável” e “irretratável”, Parente afirma que sua permanência no cargo deixou de ser “positiva”. A saída do presidente da Petrobras foi uma das reivindicações que esteve presente em meio à greve dos caminhoneiros e, principalmente, da paralisação feita pelos petroleiros.

Na presidência da Petrobras, desde 2016, Parente estava à frente da política de venda de ativos e do avanço do processo de privatização da Petrobras, razão da atual política de reajustes dos combustíveis de acordo com as variações do mercado internacional.

É preciso construir a Greve Geral! Fora Temer!
No momento em que o governo Temer e a Petrobras, com respaldo da justiça, ameaçam de retaliação os trabalhadores e os sindicatos, é preciso fortalecer a greve e conclamar a solidariedade de toda a classe trabalhadora e da população.

É preciso repudiar o uso dos militares nas refinarias da Petrobras, bem como a criminalização da greve pelo Judiciário. A greve petroleira foi suspensa temporariamente, mas a necessidade da greve geral ainda está colocada.

Fonte: CSP-CONLUTAS, com edição. 

Compartilhe esta notícia!

Dirigente da Central fala sobre a mobilização de trabalhadores em Educação no Pará

O país vive um momento de intensas mobilizações de diversas categorias. Os trabalhadores em Educação têm realizado importantes greves e mobilizações resistindo a inúmeros ataques dos governos e lutando por uma educação pública de qualidade.

De modo geral, a categoria expressa descontentamento com os baixos salários, perda de direitos e a precariedade nas condições de ensino. No Pará, em greve desde o dia 2 de maio, os professores da rede estadual exigem não apenas o reajuste salarial, mas também o cumprimento do Piso Nacional da Educação. Os trabalhadores desse estado são os que têm menor remuneração em todo país, com piso estacionado desde 2015.

Silvia Letícia, trabalhadora em educação no Estado do Pará e membro da Secretaria Executiva Nacional da CSP-Conlutas, concede entrevista em que detalha a pauta de reivindicação da categoria.

Veja a entrevista.

Fonte: CSP-CONLUTAS, com edição.

Compartilhe esta notícia!

Junte-se e lute!

FILIE-SE À ADUFS

“Ser filiado não é somente uma opção por melhoria das condições de salário e de trabalho. A luta sindical é imprescindível em tempos de destruição das conquistas dos trabalhadores e, no nosso caso, na tentativa de destruição do serviço público”..


Edson do Espírito Santo – Professor do Departamento de Educação (DEDU)

A força do sindicato está em seus/suas filiados (as) e na capacidade de defender os interesses da categoria. Desde a sua criação, em 1981, a Adufs tem pautado a luta em uma prática democrática, coerente e firme na defesa de um projeto de universidade pública.

Participar do sindicato é exercer cidadania, é ser sujeito da sua história. Para filiar-se é preciso preencher um formulário (aqui), autorizar o desconto mensal de 1% sobre os vencimentos, assinar e entregar na Sala da Associação, que fica no Módulo IV (MT 45) da Uefs.

Avenida Transnordestina, MT 45, Novo Horizonte
Campus Universitário - UEFS - CEP 44036-900 - Feira de Santana - BA
Tel: (75) 3224 - 8072 | 3224 - 3368
Email: ascomadufsba@gmail.com
www.adufsba.org.br

Facebook Twitter YouTube

Política de Privacidade | Unsubscribe
Desenvolvido por Tacitus Tecnologia