Ano IX - Edição 441 - 05/12/2017

Fórum das ADs solicitará a senador que interceda para agilizar o processo de negociação com o governador Rui Costa

Em mais uma tentativa de abrir um canal de negociação junto ao governador Rui Costa (PT), o Fórum das ADs solicitou uma reunião com o senador Otto Alencar (PSD), base aliada deste. O encontro foi marcado para o dia 14 de dezembro, às 9h30, no gabinete do parlamentar, em Brasília. Durante a ida à capital federal, os docentes ainda procurarão outros senadores e deputados.

O objetivo da categoria é que o senador atue como interlocutor de uma reunião com Rui Costa. A expectativa do Fórum das ADs é que a proximidade da relação política entre o partido do governador e Otto Alencar, vice-governador da Bahia na chapa de Jaques Wagner, em outubro de 2010, além de secretário da Infraestrutura, de 2011 até março de 2014, contribua com o avanço das negociações.

Paralelo ao pedido de mediação que será feito aos senadores e deputados, o Fórum das ADs protocolou novo ofício no gabinete do presidente da Assembleia Legislativa da Bahia (AL-BA), Ângelo Coronel, ratificando a solicitação já feita de convocação de uma reunião com a proposta de tratar sobre o ensino superior público na Bahia. Até o momento, o parlamentar não respondeu aos professores.

Alerta
Nos documentos entregues ao senador Otto Alencar e ao presidente da AL-BA, os diretores das associações docentes pontuam que o diálogo é fundamental para o processo de negociação, mas diante do descaso do governador Rui Costa, alertam que o indicativo de greve já foi aprovado em assembleias da categoria nas quatro universidades. 

A diretora da Adufs, Pricila Araújo, avalia que o governo demonstra estar muito mais preocupado em desgastar o Movimento Docente (MD) junto à sociedade baiana e dizer inverdades sobre a discussão da pauta, como ocorrido no dia de mobilização estadual, na última terça (28), do que em iniciar o processo de negociação com a categoria e garantir a qualidade do ensino superior público na Bahia.

Compartilhe esta notícia!

MOVIMENTO DOCENTE

Mesmo sem a assembleia, presentes reforçaram a necessidade de os professores intensificarem a luta

A assembleia marcada para quinta-feira (30) não ocorreu por falta de quórum. Ainda que descartada a possibilidade de deliberação sobre as pautas, os professores presentes avaliaram os prejuízos do esvaziamento dos espaços democráticos de discussão das questões atinentes à categoria e apontaram para a necessidade de uma nova assembleia.

A diretoria da Adufs ainda reforçou o convite aos professores para colaborarem com a construção da greve geral de 24 horas, convocada por diversas centrais sindicais do país para esta terça-feira (5). O protesto é contra a Proposta de Emenda à Constituição (PEC) 287/16, da Reforma da Previdência, pela revogação da Reforma Trabalhista, da Lei das Terceirizações e da Emenda Constitucional (EC) 95 – que impõe um teto de gastos para o orçamento público. Como a votação da (PEC) 287/16 pela Câmara dos Deputados foi adiada, as Centrais Sindicais, com exceção da CONLUTAS, decidiram pelo cancelamento da Greve. Esta atitude das demais centrais mereceu veemente Notas de Repúdio tanto por parte CSP-CONLUTAS quanto do ANDES-SN.

Panfletagem
Como parte das atividades do dia nacional de mobilização contra a Reforma da Previdência e os demais ataques do governo Temer, nesta terça (5), os diretores da Adufs farão uma panfletagem no bandejão, na Uefs, às 11h e às 17h15. A atividade é construída em conjunto com a Frente Nenhum Direitos a Menos/Bahia. Não haverá paralisação das atividades acadêmicas no campus neste dia (5).

Na Uesb, Uneb e Uesc, a categoria aprovou, em assembleia, a paralisação das atividades com a realização de ato público. Haverá protestos na capital e em diversas cidades do interior baiano.

Leia mais.

Compartilhe esta notícia!

FORMAÇÃO POLÍTICA

Virgínia Fontes vem à Uefs nesta terça (5)

A professora da Universidade Federal Fluminense (UFF), Virgínia Fontes, estará na Uefs nesta terça-feira (5) para compor a terceira mesa do Ciclo de Debates sobre o tema "13 anos do Partido dos Trabalhadores (PT) no poder, golpe e perspectivas para a classe trabalhadora brasileira”. A atividade será às 18h, no Auditório 3, Módulo IV da Uefs.

No dia 14 deste mês, às 18h, no Auditório 4, Modulo VI da universidade, o debate será com o professor e coordenador do ANDES-SN, Giovanni Frizzo. O segundo seminário deste Ciclo trouxe para a universidade, no dia 23 de novembro, o economista Plínio de Arruda Sampaio Júnior, da Universidade Estadual de Campinas (Unicamp). O primeiro ocorreu no dia 9 do último mês, com o professor Eurelino Coelho, da Uefs.

O Ciclo de Debates é realizado pelo Grupo de Trabalho e Política de Formação Sindical (GTPFS) da Adufs, com o apoio da diretoria da Associação. O objetivo é contribuir com a formação política dos professores, além de suscitar debates sobre questões atinentes à sociedade e à luta do Movimento Docente (MD). 

Compartilhe esta notícia!

NOVEMBRO NEGRO

Racismo e intolerância religiosa são pautas de debate

O racismo, a discriminação sofrida pelos praticantes das religiões de matrizes africanas, além dos desafios enfrentados pelos professores para pôr em prática o que preconiza a lei nº 11.645/2008 foram abordados na mesa-redonda Religião e racismo, que fez parte do seminário Memórias Negras: intolerância, resistências e perspectivas. A atividade aconteceu quinta (30), no Auditório do Mestrado em História, módulo VII da Uefs.

O evento integrou as comemorações do 20 de novembro, data na qual é celebrado o Dia Nacional da Consciência Negra. A professora Zeneide Rios, uma das organizadoras da atividade e membro da coordenação do Núcleo de Estudos Afro-Brasileiros e Indígenas da Uefs (Neabi), avaliou que o racismo no Brasil é um mecanismo para a manutenção dos privilégios de uma minoria que domina a disputa hegemônica no país e que usa equivocadamente a religião para acirrar as relações interpessoais e praticar o racismo institucional e religioso. A docente também lembrou a dificuldade de alguns educadores para implementar a lei nº 11.645, que estabelece as diretrizes e bases da educação nacional, para incluir no currículo oficial da rede de ensino a obrigatoriedade da temática História e Cultura Afro-Brasileira e Indígena.

Leia mais

Compartilhe esta notícia!

MUDANÇA NO ATENDIMENTO

Plantão do assessor jurídico será alterado

Por conta de uma audiência pública marcada para os dias 05 e 12 de dezembro deste, o plantão do assessor jurídico da Adufs passará por modificação. O atendimento desta terça (5) será realizado na próxima quarta-feira (6) e o plantão da semana seguinte (12) ocorrerá no dia 13 deste.

Leia mais.

Compartilhe esta notícia!


ANDES-SN

Sindicato Nacional e CSP manifestam-se contra o cancelamento da Greve Geral marcada para 5 de dezembro

Em nota publicada no dia 1º, o ANDES-SN e a CSP-CONLUTAS manifestaram-se, cada uma, contra as centrais sindicais CUT, CSB, CTB, Força Sindical, UGT e NCST, que cancelaram a Greve Geral acordada amplamente entre as diversas categorias de trabalhadores para esta terça-feira (5).

O cancelamento ocorreu sem ao menos haver uma consulta ou discussão prévia com as entidades envolvidas na construção do protesto. Por entender a necessidade de ampliar a mobilização e enfrentar os retrocessos impostos pelo governo, a Central e o ANDES-SN repudiaram mais essa traição das centrais e convocaram os trabalhadores a manterem o dia 5 de dezembro como um dia nacional de luta com mobilização e paralisação.

Leia a moção de repúdio do ANDES-SN.

Leia a nota da CSP-CONLUTAS.

Fonte: ANDES-SN, com edição. 

Compartilhe esta notícia!

Reitoria da Uern é ocupada por docentes substitutos

Docentes substitutos da Universidade do Estado do Rio Grande do Norte ocuparam a reitoria da instituição no dia 30 de novembro, devido à quebra e ao cancelamento dos contratos de boa parte dos professores. Os docentes da Uern estão em greve desde o último dia 10 de novembro, exigindo, entre outras reivindicações, o pagamento dos salários atrasados.

A posição da Associação dos Docentes da Uern (Aduern Seção Sindical do ANDES-SN) é de que “a greve é um direito de todos os trabalhadores e trabalhadoras, sejam concursados ou provisórios, e que os contratos devem ser mantidos durante o movimento paredista”.

De acordo com informações dos docentes em contrato provisório, dos 180 professores e professoras contratados temporariamente pela universidade, apenas 28 seriam mantidos pela Reitoria. A deliberação revoltou o segmento.

“Estamos em greve, pois estamos há dois meses sem receber salários. Não há diferença entre os professores efetivos e substitutos. Ontem tivemos uma reunião, onde a reitoria esteve com toda a sua assessoria jurídica e foi colocado que não haveria condição dos substitutos permanecerem. Todos nós, contratados, já estamos com nossas matrículas cadastradas na Plataforma Íntegra para darmos aulas no próximo semestre, bem como os alunos que também já estão matriculados”, explicou Fernando Domingos, que é docente provisório no curso de história.

Fonte: ANDES-SN, com edição. 

Compartilhe esta notícia!


CSP-Conlutas

Coordenação Nacional definirá plano de lutas para 2018

A Coordenação Nacional da CSP-CONLUTAS estará reunida da próxima sexta-feira (8) até domingo (10), em São Paulo, com o objetivo de definir, entre outros pontos, o plano de ação para 2018. A Adufs será representada pelo diretor Gean Santana e pela professora Gracinete Souza.

Também fazem parte da pauta do encontro a eleição da Secretaria Executiva Nacional e do Conselho Fiscal da Central (debate, composição de chapas, votação e posse). No último dia (10) haverá a apresentação dos relatórios encaminhados nas reuniões setoriais, mais a votação das resoluções e moções.

Fonte: CSP-CONLUTAS, com edição. 

Compartilhe esta notícia!

Justiça determina retirada de propaganda mentirosa de Temer sobre a Reforma da Previdência

A propaganda do governo federal sobre a Reforma da Previdência, que vinha sendo amplamente divulgada em diversos veículos de comunicação, foi suspensa por decisão da Justiça Federal do Distrito Federal, que deferiu a ação ajuizada pela Associação dos Auditores Fiscais da Receita Federal do Brasil (Anfip), a Fenafisco (Fisco Estadual e Distrital) e demais entidades representativas dos servidores públicos federais.

Na decisão, a juíza federal Rosimayre Gonçalves de Carvalho determina "a imediata suspensão de todos os anúncios da campanha de "Combate aos Privilégios" do Governo Federal da Reforma da Previdência nas diversas mídias e suportes que vêm sendo publicadas ações de comunicação, sob pena de multa diária de R$ 50.000,00 (cinquenta mil reais)". A Advocacia Geral da União informou que irá recorrer da decisão.

Nas propagandas, o governo diz que, com o "corte de privilégios", o país terá mais recursos para cuidar da saúde, educação e segurança. A Anfip, porém, argumenta que as peças não têm cunho educativo, como manda a Constituição, e apresentam mensagem "inverídica" sobre as mudanças nas regras de aposentadoria.

"A despeito de nada informar, propaga ideia que compromete parcela significativa da população com a pecha de 'pouco trabalhar' e ter 'privilégios', como se fosse essa a razão única da reforma'".

Fonte: CSP-CONLUTAS, com edição.

Compartilhe esta notícia!

Junte-se e lute!

FILIE-SE À ADUFS

A força do sindicato está em seus/suas filiados (as) e na capacidade de defender os interesses da categoria. Desde a sua criação, em 1981, a Adufs tem pautado a luta em uma prática democrática, coerente e firme na defesa de um projeto de universidade pública.

Participar do sindicato é exercer cidadania, é ser sujeito da sua história. Para filiar-se é preciso preencher um formulário (aqui), autorizar o desconto mensal de 1% sobre os vencimentos, assinar e entregar na Sala da Associação, que fica no Módulo IV (MT 45) da Uefs.

Avenida Transnordestina, MT 45, Novo Horizonte
Campus Universitário - UEFS - CEP 44036-900 - Feira de Santana - BA
Tel: (75) 3224 - 8072 | 3224 - 3368
Email: ascomadufsba@gmail.com
www.adufsba.org.br

Facebook Twitter YouTube

Política de Privacidade | Unsubscribe
Desenvolvido por Tacitus Tecnologia