Ano IX - Edição 436 - 30/10/2017
Fórum indicou um dia estadual de paralisação - Foto: Ascom Fórum das ADs

Fórum das ADs avança no indicativo de greve e aponta calendário de novembro

Dando continuidade aos próximos passos do indicativo de greve, ocorreu na última segunda-feira (23), na Uesb, a reunião ordinária do Fórum das ADs. Os professores avaliaram a conjuntura estadual, criticaram o descaso do governo Rui Costa e apontaram o calendário de ações do próximo período.

Com o objetivo de demover o Governo do Estado da sua postura intransigente, foi indicado o dia estadual de paralisação, com atos locais, para o dia 28 de novembro. A proposta já foi aprovada em assembleia de docentes da Uneb e deverá ser apreciada nas próximas assembleias da Adufs, Adusb e Adusc.

Indicativo de greve e pauta estadual
Diante da inflexibilidade e ausência de diálogo do governo, os professores das quatro universidades estaduais aprovaram o indicativo de greve em assembleias da Uesb, Uesc, Uefs e Uneb. A construção da radicalização pela categoria foi uma reação aos mais de dez meses de silêncio do governo sobre a pauta protocolada.

A indignação dos professores diz respeito ao arrocho salarial, não garantia de promoções, progressões, mudança de regime de trabalho, crise orçamentária das Ueba, entre outras questões relacionadas ao sucateamento da educação pública e direitos trabalhistas.

Leia mais sobre a pauta de reivindicações 2017.

Na agenda desse mês foi indicada a continuidade do Ciclo de Seminários Temáticos das Universidades Estaduais da Bahia. As próximas rodadas serão na Uesc e Uefs. Além disso, foi encaminhando o fortalecimento da campanha de mídia com publicação de notas nos jornais, outdoors e lançamento de jingle nas rádios. Foi tirada também a construção de novos panfletos, além de um boletim que amplie a divulgação dos números das perdas salariais e do desmonte das Ueba.

A orientação do Fórum é fortalecer a pauta estadual em diálogo com a pauta nacional. Na avaliação dos docentes, o ajuste fiscal estadual do governo petista tem relações indissociáveis com o cenário de retirada de direitos e o ajuste fiscal do governo Michel Temer. Nesse sentido, os diretores das associações docentes também apontaram a incorporação das seções sindicais nas atividades de mobilização do dia 10 de novembro, que será um dia nacional de luta e resistência contra a aplicação da reforma trabalhista.

Pressão rumo à greve
Na leitura do Fórum, a mobilização precisa continuar forte e em uma crescente do movimento paredista. Para Vamberto Ferreira, atual coordenador do Fórum das ADs, é preciso unir forças de toda a comunidade acadêmica pela sobrevivência das universidades. “A hora de lutar é agora. Não haverá recuo até o governo não atender às nossas reivindicações. Dinheiro tem, o que falta é o governador dar prioridade à educação”, afirmou o professor.

As contas mostram a Bahia como o quinto estado mais rico do país. Os números oficiais indicam folga em relação ao limite prudencial da Lei de Responsabilidade Fiscal, mas ainda assim o governo se recusa a aumentar os recursos para a educação pública e garantir os direitos trabalhistas.

A próxima reunião do Fórum ocorrerá no dia 13 de novembro, às 9h, na Universidade Estadual de Santa Cruz, em Ilhéus.

Confira o calendário do mês de novembro.

Fonte: Ascom Fórum das ADs. 

Compartilhe esta notícia!

DEFESA PESSOAL

Uefs tem o primeiro minicurso para mulheres e LGBTs

Foto: Arquivo pessoal - Elson Moura
Próxima turma já está completa

Implantado na Uefs em caráter experimental, o minicurso de defesa pessoal para mulheres e LGBTs tem conquistado muitos adeptos. A atividade, que inicialmente contemplou 20 pessoas, encerrou com 30 inscritos para a próxima etapa.

O minicurso tem a proposta de fornecer aos participantes informações de como ter, no dia a dia, uma atuação defensiva nas situações de violência e de perigo. É realizado durante sete semanas, aos sábados, das 9h às 12h, no Parque Esportivo da Uefs. Para cada turma são disponibilizadas 30 vagas, abertas para membros da comunidade acadêmica e externa. As aulas da primeira turma começaram no dia 19 de agosto deste e terminaram em 21 outubro. Ainda não há prazo para início da próxima turma. Quem quiser participar ou obter mais informações sobre a atividade pode entrar em contato através do email minicursodpessoal@gmail.com.

As atividades são ministradas de forma voluntária por docentes, discentes e uma egressa do curso de Educação Física da Uefs, praticantes de karatê, judô e muay thai. “O minicurso é uma resposta necessária aos casos de violência e agressão contra mulheres e LGBTs em nossa sociedade. Já existe uma cobrança por parte da comunidade acadêmica, que é legítima, para que este vire projeto de extensão”, disse, orgulhoso, Elson Moura, professor da Uefs e um dos organizadores da proposta. 

Compartilhe esta notícia!


ANDES-SN

Docentes seguem mobilizados

Foto: ANDES-SN
Ações foram aprovadas para novembro

A última sexta-feira (27), quando antecedeu o Dia do Servidor Público, foi um dia nacional de mobilização dos servidores públicos federais, estaduais e municipais. Diversas entidades sindicais, entre elas o ANDES-SN, realizaram atos e manifestações em todo o país, em defesa dos serviços públicos e dos direitos trabalhistas dos servidores.

A data foi incluída no calendário de mobilização do ANDES-SN na reunião conjunta dos Setores das Instituições Federais de Ensino (Ifes) e das Instituições Estaduais e Municipais de Ensino (Iees/Imes), realizada no Rio de Janeiro (RJ), no dia 19 de outubro. 

Calendário de lutas
Depois do dia 27, há outras mobilizações no calendário do Sindicato Nacional. Em 10 de novembro, terá lugar o Dia Nacional de Lutas, Paralisação e Greve, que ocorrerá às vésperas da entrada em vigor da Contrarreforma Trabalhista. Os docentes se mobilizarão ainda no Dia da Consciência Negra, 20 de novembro, e no Dia Latino-Americano e Caribenho de Luta Contra a Violência Contra a Mulher, 25 de novembro.

Fonte: ANDES-SN, com edição.

Compartilhe esta notícia!

Seminário internacional sobre esquema do sistema da dívida pública ocorre em novembro

Foto: ANDES-SN
Evento ocorrerá de 7 a 9 de novembro

A Auditoria Cidadã da Dívida realizará, de 7 a 9 de novembro, em Brasília (DF), o Seminário Internacional “Esquema Financeiro Fraudulento e Sistema da Dívida – Criação de ‘Estatais não Dependentes’ para securitizar a Dívida Ativa e lesar a sociedade”. A entidade, que tem o ANDES-SN como um de seus parceiros – atua reivindicando a realização de uma auditoria da dívida pública no Brasil, que atualmente consome quase metade do orçamento da União. As inscrições são gratuitas e podem ser feitas no site do Sindicato Nacional.

Entre os palestrantes convidados estão especialistas, acadêmicos, juristas, políticos e militantes que irão analisar a atuação do Sistema da Dívida no Brasil e em outros países da Europa e América Latina, com foco na atuação dos recentes mecanismos financeiros, que aprofundam a financeirização e provocam simultaneamente a geração de dívida pública, o sequestro de arrecadação e o seu desvio ao setor financeiro.

O encontro servirá também para articular ações concretas em âmbito nacional e internacional nos diversos campos – jurídico, legislativo, acadêmico, social e político – visando popularizar o conhecimento desses mecanismos e combatê-los.

Fonte: ANDES-SN, com edição. 

Compartilhe esta notícia!


CSP-Conlutas

Especialistas criticam a redução da maioridade penal

Foto: CSP-CONLUTAS
Há propostas em tramitação no Senado

Enquanto pesquisas revelam o crescimento alarmante do assassinato de jovens entre 12 a 18 anos no Brasil, principalmente pobres e negros, os corruptos do Congresso Nacional voltam a discutir a redução da maioridade penal, como se isso fosse a solução para a situação de violência no país. No dia 24, uma audiência pública foi realizada na Comissão de Constituição, Justiça e Cidadania (CCJ) do Senado para discutir o tema.

Há várias propostas em tramitação no Senado. A PEC 33/2012, de autoria do senador licenciado e atual ministro das Relações Exteriores Aloysio Nunes (PSDB), permite que jovens de 16 anos sejam processados e julgados como adultos e é uma das que mais tem chances de ir à votação. Outras três propostas alteram a Constituição de forma semelhante para reduzir a maioridade penal: as PECs 74/2011, 21/2013 e 115/2015.

Na audiência realizada na CCJ, pesquisadores e estudiosos foram unânimes em criticar a medida. A diretora da Human Rights Watch no Brasil, Maria Laura Canineu, afirmou que uma diminuição na maioridade penal representaria um retrocesso, colocaria o país na contramão de uma tendência internacional e não garantiria mais segurança para a população.

Para a integrante do Movimento Luta Popular, Irene Maestro, o debate da redução da maioridade penal e da violência são sempre tratados com sensacionalismo, sem que seja discutido a fundo as causas dos problemas no país.

Fonte: CSP-CONLUTAS, com edição.

Compartilhe esta notícia!

Liminar suspende portaria do trabalho escravo

A vergonhosa portaria do Ministério do Trabalho que alterou as regras de fiscalização contra o trabalho escravo no país foi suspensa no dia 24 deste mês, por uma liminar concedida pela ministra do Supremo Tribunal Federal (STF), Rosa Weber.

A liminar é uma derrota para o governo Temer, que usou desta portaria para atender às reivindicações da bancada ruralista em troca de votos para barrar a denúncia contra o presidente na Câmara. A suspensão foi muito importante, mas ainda é temporária. É preciso exigir a revogação definitiva desta portaria absurda!

“Liberar o trabalho escravo demonstra que esse governo não tem limites. Temer e o Congresso precisam ser barrados e isso só será possível com luta. A CSP-Conlutas jogará todas suas forças na construção de um forte dia de paralisações no dia 10/11 para fortalecer a mobilização no país rumo à construção de uma nova Greve Geral”, disse o integrante da Secretaria Executiva Nacional da CSP-Conlutas, Paulo Barela.

Fonte: CSP-CONLUTAS, com edição.

Compartilhe esta notícia!

Junte-se e lute!

FILIE-SE À ADUFS

““Considero fundamental nos sindicalizarmos em função da representação e organização coletiva necessárias à defesa dos direitos trabalhistas que estão sendo cada vez mais sucateados. O sindicato/associação precisa existir para possibilitar espaços ampliados de discussões, como é o caso das assembleias, e espaços de estudos, articulação/mobilização política, como também culturais e de integração. Precisamos ocupar os espaços de discussões existentes e nos posicionar. Precisamos legitimar o sindicato, principalmente num cenário atual de desmonte do que fora construído historicamente pela classe trabalhadora”.”.


Amanda Leite Novaes - Departamento de Saúde (DSAU)

A força do sindicato está em seus/suas filiados (as) e na capacidade de defender os interesses da categoria. Desde a sua criação, em 1981, a Adufs tem pautado a luta em uma prática democrática, coerente e firme na defesa de um projeto de universidade pública.

Participar do sindicato é exercer cidadania, é ser sujeito da sua história. Para filiar-se é preciso preencher um formulário (aqui), autorizar o desconto mensal de 1% sobre os vencimentos, assinar e entregar na Sala da Associação, que fica no Módulo IV (MT 45) da Uefs.

Avenida Transnordestina, MT 45, Novo Horizonte
Campus Universitário - UEFS - CEP 44036-900 - Feira de Santana - BA
Tel: (75) 3224 - 8072 | 3224 - 3368
Email: ascomadufsba@gmail.com
www.adufsba.org.br

Facebook Twitter YouTube

Política de Privacidade | Unsubscribe
Desenvolvido por Tacitus Tecnologia